sábado, 21 de outubro de 2017

Consumo Consciente na palma da mão! Conheça os app aliados nessa missão

Quando falamos em consumo, logo imaginamos o ato de compra de um determinado produto. Quando falamos em consumo consciente, associamos diretamente a redução da quantidade de produtos adquiridos.

  
Mas tanto o consumo quanto o consumo consciente vão além destas primeiras impressões. Consumir é um processo realizado em várias etapas, a compra é apenas uma das etapas do consumo. O consumo está presente todo o tempo em nossas vidas, desde o escovar os dentes e tomar banho, onde consumimos água e eletricidade, até quando nos locomovemos até o trabalho, escola e faculdade, quando consumimos combustível ou energia elétrica (dependendo do meio de transporte que usarmos). E mesmo passando o dia sem realizar a compra de qualquer produto, estaremos consumindo. Por esta razão, é importante termos consciência que nosso consumo provoca impactos em nossas vidas, mas também na comunidade que nos cerca e no planeta, de maneira geral.  

Para auxiliar na adoção do hábito de consumir conscientemente, listamos abaixo alguns aplicativos que são uma verdadeira mão na roda.

1. Nossa Água
Um aplicativo para aqueles que desejam reduzir seu consumo de água!

O aplicativo Nossa Água, desenvolvido pela parceria entre a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e o Instituto Akatu, foi pensado para ajudar a economizar água, bem como aprender a cuidar melhor desse recurso natural.

Imagem: Verdes Mares

Disponível para iOS e Android, o aplicativo é gratuito, trazendo dicas para economia de água, uma calculadora de banho, que mede em litros o consumo de água de acordo com o tempo no chuveiro e ainda mostra um ranking do gasto em relação ao banho anterior. Se uma pessoa demora 40 minutos no chuveiro seu gasto médio pode chegar a 200 litros, enquanto que um banho de 10 minutos gasta 50 litros de água. O app ainda elogia aqueles que economizam e adverte quando o consumo é maior. O Nossa Água também o jogo “O Encanador”, em que o usuário deve emendar vazamentos nos canos até que todas as extremidades estejam ligadas para a água fluir livremente pela tubulação.

2. Moda Livre
Um aplicativo para quem gosta de moda e quer consumir de maneira consciente!

Avaliar cada marca e sua cadeia de produção dá trabalho, e pensando nisso a ONG Repórter Brasil desenvolveu o Moda Livre, um aplicativo gratuito que avalia o envolvimento das marcas de roupa no trabalho escravo.

Imagem: Moda Verde

A avaliação dos principais varejistas e empresas de roupa do Brasil foi feita com base em informações obtidas em flagras de fiscais do Ministério do Trabalho (MTE) em casos de trabalho escravo.  As empresas foram convidadas a responder um questionário, levando em consideração os fatores “política”, ”monitoramento”, “transparência” e “histórico,” e, com base nas respostas do que adotaram para combater o trabalho escravo, receberam uma pontuação que as classifica em três categorias de cores: verde, amarelo e vermelho, conforme a conduta adotada por elas. As empresas que não foram responderam automaticamente incluídas na categoria vermelha.

Imagem: Moda Verde

O aplicativo, disponível para iOS e Android, está no ar desde 2013 e conta com mais de 70 marcas. Segundo seus criadores, o intuito do Moda Livre é fornecer informações para que o consumidor faça a escolha de forma consciente.

3. Mapa de Feiras Orgânicas
Um aplicativo para encontrar alimentos orgânicos e agroecológicos!

Para encurtar o caminho do consumidor até o produtor e ampliar o acesso a alimentos orgânicos, o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) em parceria com a campanha Brasil Saudável e Sustentável, coordenada pelo MDS (Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome) criou o aplicativo Mapa de Feiras Orgânicas.

 

O aplicativo mapeia estabelecimentos que comercializam orgânicos diretamente do produtor em todo Brasil, atualmente mais de 650 locais já estão cadastrados.

4. Nossa Energia
Um aplicativo para quem deseja consumir energia de forma consciente e economizar em sua conta de energia elétrica!

O aplicativo Nossa Energia, também criado pela parceria entre a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e o Instituto Akatu, incentiva a diminuir os gastos com energia elétrica. Lançado em 2014, o aplicativo possui uma calculadora que contabiliza em Kw (kilowatt) os gastos de energia elétrica de acordo com os eletrodomésticos e o consumo da casa ou apartamento.

Imagem: Google Play

Disponível para iOS e Android, o aplicativo gratuito, além de contribuir para o consumo consciente de energia também ajuda no equilíbrio financeiro e a despertar a consciência ecológica do seu usuário.  O Nossa Energia também possui o game “Apagão”, em que o usuário deve apagar todas as luzes de um prédio.

5. Plantit
Um aplicativo que ajuda a ter sua própria horta orgânica em casa!

Criado pela empresa portuguesa Plantit, o aplicativo, também chamado Plantit, ensina e dá dicas para aqueles que sempre desejaram ter uma horta orgânica em casa.

Imagem: Hypeness

O aplicativo, que está disponível para iOS e Android, é gratuito e traz muitas informações para sobre hortaliças, legumes e verduras brasileiros. Segundo a empresa, o objetivo do aplicativo é auxiliar na difusão de práticas de agricultura urbana, para isto o Plantit ensina como, quando e onde semear, indicando as épocas corretas para plantar, regar e colher as variedades de cultivo.

Imagem: Hypeness

A linguagem do aplicativo é bem clara para que todos possam tirar o máximo proveito, mesmo as pessoas sem experiência em cultivo de hortas. Uma outra boa notícia é que o Plantit também ensina como preparar biofertilizantes em casa, deixando os alimentos cultivados ricos em sabor e sem comprometer a saúde de quem os cultiva e daqueles que irão se alimentar. 

6. Nosso Transporte
Um aplicativo que te ajuda a escolher o meio de transporte mais sustentável!

Poder escolher o meio de transporte mais barato, menos poluente e mais saudável. Essa é a ideia do aplicativo Nosso Transporte, também criado pela parceria entre a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e o Instituto Akatu, que pretende auxiliar a população a fazer escolhas mais conscientes ao se locomoverem pelas cidades e conscientizar os brasileiros sobre a importância de preservar o meio ambiente.

Imagem: Meio Info

Lançado em 2015, o aplicativo possui a Calculadora Transporte Consciente, pela qual o usuário insere informações sobre o preço do combustível em sua região, o valor do transporte público e o endereço de destino. A ferramenta compara gastos financeiros, emissão de carbono e calorias gastas pelo usuário, caso ele escolha percorrer um determinado percurso de carro, transporte público, de bicicleta ou a pé.

Disponível para iOS e Android, o  aplicativo é gratuito e ainda traz o Jogo Catalisador, no qual o usuário precisa filtrar todas as fumaças lançadas na atmosfera.
  


Clique aqui para ler mais artigos de Nathália Abreu




quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Pequeno Guia para o Consumo Consciente


O conceito de consumo consciente não envolve apenas o que você consome, mas também de quem você consome e qual será o destino de seu descarte. Não adianta comprar alimentos orgânicos de um produtor que não tem seus funcionários formalizados ou utiliza-se de mão de obra infantil ou escrava. Ou ainda usar sacolas retornáveis de uma empresa se ela não toma os devidos cuidados no seu processo de produção.

Mas então o que é Consumo Consciente? Consumir de forma consciente é levar em consideração todos os impactos socioambientais da cadeia de produção e, do uso e descarte de produtos e serviços.

Um importante primeiro passo para a mudança de comportamento é refletir sobre os seus hábitos de consumo. Será que eu fecho a torneira quando escovo os dentes? Tomo banho demorado? Apago as luzes de ambientes não ocupados? Desligo da tomada os eletrodomésticos não usados? Dou carona para amigos que façam o mesmo trajeto? Deixo o carro em casa e utilizo transporte público? Planejo as minhas compras de supermercado? Reflito antes do impulso do consumo?


Repensar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar ajudam bastante nessa mudança de comportamento. Repense e reduza o seu consumo, reutilize aquilo que você consumiu e recicle o que já foi utilizado.

Outro passo é adotar uma postura mais ativa perante às empresas. Envie sugestões e críticas construtivas sobre seus produtos e serviços, contribuindo assim para a melhoria dos mesmos e diminuindo seus impactos socioambientais.

Exija também de seus candidatos e governantes propostas e ações que viabilizem e aprofundem a prática de consumo consciente. Um bom exercício para iniciar esta prática: que tal entrar em contato com o político no qual votou e perguntar o que ele está fazendo em prol do planeta? Lembre-se que ele tem obrigação de demonstrar os resultados que está obtendo para seus eleitores.


Sensibilize outros consumidores e dissemine informações, valores e práticas do consumo consciente. Monte grupos para mobilizar seus familiares, amigos e pessoas mais próximas. Seja um militante da causa!



E por fim, avalie constantemente seus princípios que guiam suas escolhas e seus hábitos de consumo. Afinal, pequenas mudanças em nosso dia-a-dia têm grande impacto no futuro.


Clique aqui para ler mais artigos de Leonardo Borges






5 Iniciativas que incentivam o Consumo Consciente!


Refletir antes do momento da compra é excelente para sabermos se realmente é necessário adquirir determinado bem ou serviço. Hoje vamos falar sobre possibilidades para a uma nova forma de reduzir o que consumimos para combater o tão perigoso e impactante consumismo e reduzir nosso impacto no planeta.

Bem antes da moeda surgir, o comércio era realizado na base da troca, o escambo. E podemos notar que esse movimento vem ganhando força novamente, é cada vez mais comuns vermos feiras de trocas se espalhando mundo a fora. Dá para trocar de tudo um pouco!

Já pensou participar dessas feiras? E se dissermos que já é possível ter acesso ao universo das trocas via online?  Felizmente este movimento também cresceu online e via app. Livros, brinquedos, roupas, jogos de videogames e até conhecimento já podem ser trocados por intermédio do seu celular ou laptop. Tem de tudo e para todos!

Sabe aquele livro que você estava querendo comprar, mas o orçamento não permitia? Ou aquela ocasião que exige uma roupa mais formal e você não vê sentido em pagar tanto para usar a roupa uma única vez?  Ou seu filho está crescendo e você gostaria de trocar os brinquedos por outros mais adequados a idade dele? Ou aquele jogo de videogame que você enjoou e gostaria de trocar por outro mais interessante? Ou você está precisando de umas aulas de inglês mas ao saldo bancário não está contribuindo?

Calma que a seguir vamos apresentar algumas iniciativas super bacanas que além de incentivarem o consumo consciente também resgata a possibilidade de criarmos conexões sociais.

1. LivraLivro
Uma excelente notícia para os amantes de leitura!

O LivraLivro é um site destinado a troca de livros para leitores de todo o Brasil. Criado com a proposta de reduzir o consumo desnecessário, economizar dinheiro e conhecer leitores que partilhem do mesmo gosto literal, o site já possui 70 mil livros disponibilizados.

Imagem: LivraLivro

E o sistema de trocas é super simples: um livro por um ponto, e um ponto por um livro. Quando você envia um livro para outro leitor, você faz 1 ponto e com esse ponto você pode pedir outro livro de algum leitor. E o leitor que lhe enviar o livro que você solicitou também ganha 1 ponto, e o ciclo continua. Você pode entregar um livro e então solicitar outro.

Imagem: LivraLivro

O cadastro no site é simples e as 3 primeiras trocas são gratuitas como forma de incentivar os novos leitores. Os valores cobrados no planos são simbólicos (a partir de R$2.69) para a manutenção e funcionamento do site. Mais de 100 mil leitores já trocaram livros através do LivraLivro! E o mais importante, a Garantia LivraLivro: se o livro que você enviar for extraviado pelos Correios o seu ponto será computado para que você seja compensado. E se você não receber o livro, o seu ponto é devolvido.
  
2. Quintal de Trocas
Uma ótima oportunidade para ensinar às crianças a importância da troca e das conexões sociais. 
Imagem: Quintal de Trocas

O Quintal de Trocas é uma plataforma online voltada para trocas de brinquedos, jogos, livros, fantasias e outros itens infantis, 100% gratuita, para o Brasil inteiro. Além de contar com a plataforma de trocas e cursos online, o objetivo é também levar a antiga vivência de brincadeiras de quintal onde as crianças partilhavam seus brinquedos para as escolas, praças, parques, facilitando o acesso a esta nova visão de mundo, a qualquer um que deseje participar desta mudança.



As trocas de brinquedos online funcionam da seguinte maneira: a criança escolhe os brinquedos que deseja oferecer para troca e responsável cadastra os mesmos no site, enviando uma sucinta descrição dos brinquedos e fotos.  Uma vez realizado o cadastro, a plataforma exibe a lista de brinquedos disponíveis, que pode ser filtrada por tipo de brinquedo, marca, idade, cidade ou estado. Desta forma, a criança e seu responsável podem escolher o brinquedo que mais interessa e solicitar a troca. Caso o dono do brinquedo escolhido também se interessar pelo brinquedo que vocês cadastraram, a troca pode ser realizada, tanto pessoalmente, dependendo da distância dos interessados, como via Correios. Mais de 60.000 pessoas já foram impactadas pelo Quintal de Trocas! 

3.  Bliive
Criado como rede virtual de troca de conhecimentos, hoje o Bliive é um movimento que acredita na colaboração como forma de revolucionar a ideia de valor, tudo isso baseado na aproximação de pessoas através do compartilhamento de experiências.
Imagem: Bliive

No Bliive a ideia é que as pessoas possam usar suas experiências e seu tempo livre para ensinar e aprender, assim o tempo virá moeda de troca para novas vivências.  E o que são experiências nesta rede? Basicamente qualquer serviço, conhecimento ou ajuda que você queira oferecer. O que move o Beliive é o seu desejo de compartilhar e receber e não o valor da sua conta bancária.

E o funcionamento é bem prático: ao se cadastrar na rede você ganha automaticamente 5 Bliives (a moeda de troca virtual, cada uma delas vale uma hora) e pode solicitar experiências de outros usuários. Um outro usuário aceita trocar horas de experiências dele por seus Bliives. Ao término da experiência, você transfere os Bliives em troca da experiência vivenciada. Você também pode oferecer suas experiências e trocá-las por mais Bliives.


Mas que tipos de experiências? Bem, suponhamos que você saiba cozinhar, então pode trocar 1 hora de culinária com alguém que esteja solicitando essa experiência. Da mesma forma, suponhamos que você esteja precisando de aulas de forró, você pode trocar seus Bliives pelas horas de aula que participar.

4. Roupateca
Comprar roupas e entulhar o guarda-roupa com peças que serão usadas pouquíssimas vezes faz cada vez menos sentido.

Pensando em reusar, transformar, renovar e compartilhar roupas foi criada a Roupateca, um guarda-roupa compartilhado que funciona por assinatura mensal.



Sediada em São Paulo, a Roupateca funciona da seguinte forma: você pode ter acesso às peças através de 3 planos que mudam de acordo com quantas peças você quer pegar de cada vez, no plano 100 você tem direito a pegar 1 peça por vez; no plano 200 você tem direito a pegar 3 peças por vez; e no plano 300 você tem direito a pegar 6 peças por vez. Mas a dinâmica de todos os planos é a mesma! Você pode trocar as peças todos os dias (ou até mais de uma vez ao dia); há um prazo para devolução da peça (que você poderá usar o quanto quiser); e a peça deverá ser devolvida inteira e lavada, mas não precisa passar.


 O acervo da Roupateca é composto por peças de qualidade e atemporais, que carregam informação de moda e beleza, e principalmente, por marcas engajadas em construir um mercado de moda mais humano.

5. TrocaJogo
Mas se sua praia for videogame, também tem boas notícias! 
Fonte: TrocaJogo

O TrocaJogo é o maior site destinado a trocas de jogos de videogame no Brasil. Pensado como meio de aproximar pessoas e promover a troca de jogos originais de videogame, ofertas de jogos piratas não são permitidos no site, com pena de banimento do TrocaJogo e denúncia aos órgãos competentes. Além disso, o site incentiva aos usuários que identificarem esse tipo de conduta, denunciem através do Fale Conosco.


Imagem: TrocaJogo

Apesar de reunir usuários amantes de videogames, o site apenas realiza a intermediação dos interessados. As trocas são realizadas diretamente entre os usuários, presencialmente ou via Correios. E por isso, o TrocaJogo não se responsabiliza pelas transações realizadas pelo site, recomendando aos usuários que antes de finalizar as negociações, conheçam melhor o histórico da outra parte interessada, solicitando informações que atestem a confiabilidade. 



Clique aqui para ler mais artigos de Nathália Abreu



terça-feira, 17 de outubro de 2017

Você é um Consumidor Consciente? Que tal fazer o teste?

O consumidor tem um grande poder em mãos, embora nem sempre tenha consciência disso. Por meio de suas escolhas cotidianas, ele pode contribuir para reduzir os impactos negativos no meio ambiente, na economia, na sociedade e no seu próprio bem-estar.

Pensando nisso, o Instituto Akatu fez um roteiro com seis perguntas que ajudam o consumidor a refletir antes e depois de fazer uma compra.


1 - POR QUE COMPRAR?
Somos bombardeados diariamente com milhares de propagandas e promoções das mais incríveis possíveis, que nos induzem a consumir. Mas é preciso pensar sobre o que motiva essa compra: Você realmente precisa comprar ou está sendo levado pelo impulso do momento?


Antes de fazer a compra, pense se há alternativas a ela, como reaproveitar algo que já tenha em casa, fazer uma troca com alguém, pegar um item emprestado (veja nosso post) ou reformar algo que você já tem.

2–O QUE COMPRAR?
Pesquise mais sobre o produto para ver se realmente atende às suas necessidades. Especificações, funcionalidades...será que o produto vai atender o que você quer? Fazendo essa pergunta, você evita ser atraído por elementos que não serão úteis no uso que você fará do produto.


Também é importante levar em consideração critérios como a qualidade, a durabilidade e a segurança do produto, além do seu preço. Sempre prefira um produto mais durável, que será útil por mais tempo e que permitirá levar mais tempo para que uma nova compra venha a ser necessária no futuro. Aquela velha máxima, às vezes o barato sai bem mais caro.

3 – COMO COMPRAR?
Comprar a vista ou a prazo? Fique atento aos descontos! Algumas lojas oferecem descontos com compras realizadas a vista.

Se estiver dentro do seu orçamento, é válido aproveitar o desconto e quitar logo o valor da compra.

Caso seu orçamento esteja apertado e você realizar a compra prazo, fique atento ao valor das parcelas e se terá como arcar com esse compromisso. E muita atenção também ao valor das taxas de juros! Existem casos em que o valor total a ser pago por um produto comprado a prazo acaba ficando muito mais alto por conta da incidência das taxas de juros. Fique de olho no crediário, cartão de crédito e cheque especial!


Sabe aquele famoso custo/benefício? Então... essa é a hora de avaliar se vale a pena gastar esse dinheiro nesta compra mesmo?

4 – DE QUEM COMPRAR?
O consumidor consciente conhece bem o produto que vai adquirir e também a empresa que o produz. Características do produto como os componentes utilizados em sua produção, os cuidados dessa empresa na exploração dos recursos naturais e com o ambiente onde a fábrica está instalada, o tratamento e a valorização dos funcionários, a contrapartida que a empresa oferecerá para a comunidade e economia locais. Fique de olho em empresas que realmente executem um planejamento socioambiental.


5 – COMO USAR?

Pode parecer uma pergunta óbvia mas, muitas vezes, os produtos adquiridos não apresentam um bom funcionamento por uso inadequado. Precisamos estar atentos ao uso consciente dos produtos e serviços adquiridos, assim podemos evitar as compras desnecessárias como quando surge uma nova versão de aparelho celular. Comprar essa nova versa é realmente necessário ou a compra está relacionada a seguir uma tendência?

Vamos a alguns exemplos práticos de bom uso: ser cuidado no uso; usar o produto até o final da sua vida útil; quando o produto der defeito, consertar antes de comprar um novo; desligar os aparelhos eletrônicos quando não estiverem em uso, inclusive desplugá-los das tomadas.

6 – COMO DESCARTAR?
Antes de descartar o produto é importante pensar se ele realmente não terá mais utilidade para você ou para outras pessoas. Precisamos estar atentos também ao descarte dos componentes produtos como as embalagens.

Caixas podem se transformar em brinquedos educativos para as crianças, inclusive ao realizar a transformação junto às crianças você estará passando um excelente exemplo de lição ambiental. As caixas juntamente com plásticos também podem ser destinadas a alguma cooperativa de reciclagem, esteja atento se em seu bairro há coleta seletiva de materiais.

Roupas antigas podem ser customizadas e assim ganharem vida nova ou podem, quando em bom estado, ser doadas à instituições ou vendidas para brechós. Móveis e eletrodomésticos antigos podem ser doados, trocados ou vendidos, os app estão aí, pessoal!

E se nenhuma dessas alternativas for possível, vamos descartar da forma correta! Atenção à coleta seletiva e às cooperativas de reciclagem!

  
Essas dicas podem até parecer pouca coisa, mas pense só: Se cada um de nós refletir sobre esses pontos antes de adquirir um novo produto ou mesmo descartar formaremos um movimento poderoso e transformador. Que tal se juntar a corrente do consumo consciente? O planeta agradece!

Com informações: Instituto Akatu
  
Clique aqui para ler mais artigos de Leonardo Borges