terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Amianto: dos problemas ao descarte

A fibra deste mineral, formado por cálcio, alumínio e ferro, é potencialmente cancerígena. Conheça um pouco do amianto e as polêmicas que o envolvem:


O amianto é um material impressionante por suas propriedades, como a resistência a altas temperaturas, a qualidade isolante e a durabilidade; sendo por isso usado em larga escala desde o século XX.  Porém, ele também é um material perigoso, visto que a inalação das fibras do pó de amianto origina mutações que podem causar câncer, principalmente o de pulmão.

O material pode ser encontrado em telhas e em certos modelos de caixas d’água.  Assim, simples atitudes como executar a instalação desses produtos, podem liberar partículas de amianto, aumentando o risco para a saúde dos consumidores. Contudo, os fabricantes contestam esse argumento, declarando que a forma em que o produto se apresenta ao consumidor constitui fibras que formam uma amálgama impossível de ser inalada.


Com relação ao descarte, esse tipo de material deve ser descartado juntamente com produtos tóxicos, em locais especializados. Mas as garantias apresentadas pelos fabricantes não são suficientes, já que o amianto não é reciclável ou reutilizável, e mesmo os fabricantes contatados não souberam indicar a melhor maneira de executar o adequado descarte. Por isso, prudentemente, recomenda-se o uso de telhas e caixas d’água feitas com plástico, que apesar de serem feitas a base de petróleo, trata-se de uma alternativa reciclável.

Para o adequado descarte dos produtos  feitos com amianto, a melhor iniciativa seria uma consulta à Secretaria do Meio Ambiente de sua cidade, entidade supostamente mais qualificada a executar tal auxílio (a resolução 348 do Conselho Nacional do Meio Ambiente, de 2004, determina que produtos que posuem o amianto como matéria-prima não podem ser descartados em qualquer local). 

No eCycle você poderá conferir mais detalhes sobre o tema, assim como endereços de eco pontos distribuídos por algumas prefeituras. No entanto, antes de se dirigir a um desses destinos, não deixe de entrar em contato com a entidade em questão. Porque, por incrível que pareça, pode ser que não aceitem tais resíduos.

Fonte: eCycle

2 comentários:

Postar um comentário