quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Tartarugas que seriam usadas em ceia de Natal são recuperadas em RR


Seis traficantes de animais silvestres foram presos na cidade de Caracaraí. 327 quelônios foram recolocados no Rio Branco, diz fiscal do ICMBio.

Fiscais ambientais recuperaram 327 tartarugas e prenderam seis traficantes de animais silvestres durante uma operação que começou na quinta-feira (15) e terminou nesta quarta-feira (21), na região do baixo Rio Branco, em Caracaraí (RR). Segundo integrantes da ação, os quelônios seriam usados em ceias de Natal e tinham sido encomendadas aos caçadores por pessoas de alto poder aquisitivo.

As tartarugas, segundo analistas do Instituto Chico Mendes (ICMBio), foram encontradas amarradas e ensacadas, prontas para serem levadas para Boa Vista, onde seriam vendidas. No mercado paralelo, as tartarugas maiores custam cerca de R$ 300 e as menores, cerca de R$ 100.

Tartarugas foram estavam amarradas, ensacadas e prontaspara serem transportadas até Boa Vista (Foto: Divulgação/Samuel Lima Rodrigues/ICMBio)



Além das tartarugas recuperadas - a maioria fêmeas em período de reprodução -, os fiscais apreenderam 311 ovos do animal. "A tartaruga é uma iguaria regional. Os ovos também são muito consumidos na região e dizem até que são afrodisíacos. Infelizmente, os ovos tiveram de ser descartados no rio, pois não havia como serem usados para consumo humano e nem para fins científicos. Tivemos mais sorte com as tartarugas, que estavam todas vivas e puderam ser recolocadas no rio. Vão ficar longe das panelas", disse Antonio Lisboa, chefe do Parque Nacional do Viruá e analista ambiental do ICMBio.

Segundo os fiscais, o grupo preso teria informado que as tartarugas tinham endereço certo. "Eles disseram que pessoas e famílias de alto poder aquisitivo tinham feito as encomendas das tartarugas e a operação acabou atrapalhando o planejamento de muita ceia de Natal", disse Lisboa.

Tartarugas foram levadas de volta para as águas do Rio Branco, em Caracaraí (RR)(Foto: Divulgação/Samuel Lima Rodrigues/ICMBio)


A operação, que deve se prolongar até sexta-feira (30), contou com apoio do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e da Polícia Militar Ambiental de Roraima. "Foram registrados 23 autos de infração. Entre os crimes cometidos estão tráfico de animais silvestres, maus tratos a animais e formação de quadrilha", afirmou Lisboa. Todos foram levados para a Penitenciária Agrícola Monte Cristo.

De acordo com o coordenador da operação, Azemar Marques, do Ibama, foram destruídos quatro "currais" onde as tartarugas eram estocadas, seis acampamentos e várias embarcações usadas pelos caçadores. "O período de reprodução das tartarugas ocorre entre dezembro e fevereiro."


Como estratégia, os fiscais realizaram a maior parte das apreensões durante a noite, período usado pelos caçadores para tentar burlar a fiscalização.

Tartarugas foram capturadas durante o período de reprodução, que acontece entre dezembro e fevereiro (Foto: Divulgação/Samuel Lima Rodrigues/ICMBio)

Emboscada em 2006
Localizada no Centro-Sul de Roraima, a região do baixo Rio Branco é considerada uma das principais áreas de reprodução de tartarugas e inclui trechos de mais de 200 quilômetros de rios sem habitação humana.

Segundo Lisboa, a última grande apreensão de tartarugas na região aconteceu em 2005, durante uma operação que recuperou 680 tartarugas. Em 2006, um atentado a outra missão resultou na morte de um colaborador comunitário e com dois técnicos do Ibama baleados.

1 comentários:

Postar um comentário