quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Chuveiro elétrico é mais econômico que aquecedores



Tomar banho com chuveiro elétrico é mais econômico do que com aparelhos dotados de aquecedores solares e a gás, revela pesquisa da Escola Politécnica (Poli) da USP. O estudo do Centro Internacional de Referência em Reuso da Água (Cirra) também aponta que o chuveiro elétrico apresenta consumo médio anual de água menor que os demais sistemas de aquecimento.

O chuveiro elétrico está presente no aparelho tradicional e no chuveiro híbrido solar, que é um aquecedor solar com um chuveiro elétrico na ponta. A pesquisa concluiu que um banho de oito minutos custa, em média, R$ 0,27 (entre consumo de água e energia elétrica) no chuveiro híbrido solar e R$ 0,30 no chuveiro elétrico.  O mesmo banho sai por R$ 0,46  com aquecedores solares tradicionais (ou seja, 53,3% a mais do que o chuveiro elétrico), R$ 0,59 com os aquecedores a gás (96,6% mais caro) e R$ 1,08 com o boiler elétrico [1] (246,6% a mais).


O chuveiro elétrico está presente em mais de 73% das residências brasileiras, segundo dados do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), programa que visa ao uso racional de energia elétrica,  instituído em 30 de dezembro de 1985 pelos Ministérios de Minas e Energia e da Indústria e Comércio.  Segundo o professor Ivanildo Hespanhol, da Poli, que coordena a pesquisa, os resultados resgatam o valor do chuveiro elétrico, uma invenção brasileira com mais de 80 anos de vida, considerada a forma mais barata e acessível para população brasileira tomar banho quente, resguardando o direito do povo à saúde, dignidade e higiene.

 “Mesmo antes da divulgação da pesquisa, mais da metade das pessoas que têm chuveiro elétrico em suas casas conheciam outras formas de aquecimento e não trocam o chuveiro elétrico”, acrescenta o professor.


Água

 Outro dado importante da pesquisa é o consumo de água dos diversos sistemas  de aquecimento de água. O estudo mostra que a média anual do consumo de água no chuveiro elétrico foi de 4,2 l/min (litros por minuto). O chuveiro híbrido solar obteve uma média anual de 4,1 l/min, ou seja, 2,3% menor que o consumo do chuveiro elétrico.

O aquecedor a gás obteve uma média de 8,7 l/min, ou seja, 207% maior que o consumo do chuveiro elétrico, o aquecedor solar obteve uma média de 8,4 l/min, ou seja, 200% maior que o consumo do chuveiro elétrico e o boiler elétrico obteve uma média de 8,5 l/min, 202% maior que o consumo do chuveiro elétrico.

Esses dados são muito relevantes se levarmos em consideração que água tratada é atualmente o bem mais escasso do mundo e, que segundo dados divulgados pela ONU, 1,8 bilhão de pessoas enfrentarão níveis críticos de falta de água já em 2025 e 2/3 da população mundial seriam afetados.

Os resultados fazem parte do estudo: Avaliação do consumo de insumos (água, energia  elétrica e gás) em chuveiro elétrico, aquecedor a gás, chuveiro híbrido solar, aquecedor solar e aquecedor de acumulação elétrico, elaborado pelo Cirra. A pesquisa teve apoio do Grupo de Chuveiros Elétricos da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

[1] Os aquecedores elétricos tipo boiler são aquecedores de acumulação, isto é, o elemento resistivo aquece lentamente a água nas horas sem consumo, para que nas ocasiões de uso, a água já esteja na temperatura adequada.

Fonte: Agência USP - http://www.usp.br/agen/?p=24685

1 comentários:

Postar um comentário