segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Lâmpada incandescente é reciclável?

Partículas de metal inviabilizam reciclagem, e não é só isso!

Confira as dores de cabeça provocadas pelo uso de lâmpada incandescente


Esse tipo de lâmpada não é reciclável. A composição do vidro é feita de um modo diferente, contando com pequenas partículas de metal. Para resolver esse problema, o Ministério de Minas e Energia lançou a Portaria nº 1007[1], em dezembro de 2010, com o objetivo de banir o comércio das famosas lâmpadas incandescentes até o ano de 2016. Elas serão progressivamente substituídas por lâmpadas fluorescentes e modelos LED[2]. Esse processo economizará muita energia. Para se ter uma ideia, os consumidores passarão a utilizar de 70 a 80% menos energia com os novos modelos. Sem contar que, no caso das LED, a reciclagem é muito facilitada. Também há reciclagem no caso das fluorescentes, mas o processo de descontaminação é mais caro e demorado.

Além da economia, a potência e a durabilidade das novas lâmpadas são incomparavelmente superiores aos mesmos atributos das lâmpadas incandescentes. As fluorescentes compactas, que se encaixam em bocais pequenos, serão as principais substitutas das incandescentes. Elas são cerca de cinco vezes mais eficientes e têm uma vida útil de três a dez vezes maior do que as incandescentes. As lâmpadas LED são cerca de 6,5 vezes mais eficientes e logo chegarão a ser 10 vezes mais eficientes, além de durarem de 25 a 50 vezes mais. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a economia chegará a 10 terawatts-hora (TWh/ano) até 2030.


E na hora do descarte?

Se não é reciclável, a destinação tem que ser a mesma dos demais resíduos sólidos secos: o aterro sanitário. No entanto, faça isso em último caso. Há postos públicos e privados para o descarte de todos os tipos de lâmpadas. Você pode acessá-los por meio da seção Postos de Reciclagem da eCycle. Basta clicar aqui, selecionar o item "Lâmpadas" e digitar seu endereço. 


[2] LED (Light-Emitting Diode – Diodo Emissor de Luz) é uma fonte de luz de semicondutores.

Fonte: eCycle - http://www.ecycle.com.br

0 comentários:

Postar um comentário