quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Onde descartar lâmpadas fluorescentes?

Antes de saber, 

conheça um pouco sobre a lâmpada fluorescente
e os perigos de seu descarte incorreto

Apesar da praticidade, durabilidade e economia da lâmpada fluorescente, no interior dela existe um componente químico muito perigoso à saúde: o mercúrio, um metal pesado e tóxico. Devido a ele, o descarte da lâmpada se torna muito complicado.

Os riscos do mercúrio

Além de mercúrio, há também a presença de chumbo na composição das lâmpadas fluorescentes. Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o valor máximo de mercúrio que pode estar concentrado em uma unidade é de 100mg (miligramas) de mercúrio por quilo do resíduo. O contato com a substância em níveis mais altos pode gerar sérios problemas de saúde.


O maior problema acontece quando a substância é inalada, ainda mais se a quantidade de mercúrio elementar[1] for grande, o que pode causar problemas neurológicos e até hidragirismo (intoxicação que causa tosse, dispnéia[2], dores no peito e outros problemas mais graves).

Na questão ambiental, quando o mercúrio é despejado de maneira irregular em rios, por exemplo, ele volatiza e passa para a atmosfera, causando prováveis chuvas contaminadas. Pode acontecer também de microrganismos absorverem o mercúrio, tornando-o orgânico em vez de metálico. Animais aquáticos e plantas podem reter o mercúrio e assim contaminar o meio ambiente sem que exista chance de erradicação.


E se quebrou?

Fique atento! Antes de limpar a área, a primeira coisa a fazer é retirar do local as crianças e os animais, além de não deixar que ninguém toque no material.


Ventilar o ambiente também é importante. Por isso, janelas e portas devem ser abertas o mais rápido possível. Para retirar os cacos, use luvas e os coloque em um saco plástico que possa ser lacrado para limpar os pequenos pedaços em pó. Use fitas adesivas e papel toalha umedecido para limpar os últimos resíduos que podem passar despercebidos.

Se a lâmpada fluorescente se quebrou em cima de roupas de cama ou qualquer outro tipo de material que tenha contato direto com o corpo, esta peça não pode mais ser utilizada, mesmo após lavagem! Ela tem que ser descartada, pois o contato com mercúrio já a inutilizou. No caso de se cortar com os cacos de vidro, procure assistência médica o mais rápido possível!

Descarte especializado

Processos realizados em locais especializados são responsáveis por retirar o mercúrio das lâmpadas fluorescentes, eliminando assim a possibilidade de contaminações ambientais e intoxicações. Por isso, o descarte deve ser bem feito, procurando os lugares certos, isolando o material em caso de quebra e avisando sobre o conteúdo entregue.

Não deixe que este material seja levado para aterros comuns. Muitas embalagens deste tipo de lâmpada avisam se o produto é reciclável. Para achar locais que aceitam lâmpadas fluorescentes, acesse a seção de busca de Postos de Reciclagem da eCycle, selecione a opção “Lâmpadas” e encontre o local mais próximo de você.


[1] O mercúrio elementar (Hg0) é um líquido de elevada tensão superficial, inodoro e de coloração prateada. 
[2]  Dificuldade em respirar, acompanhada de uma sensação de mal-estar.


Fonte: eCycle e http://reginagorni.sites.uol.com.br/Mercurio.htm 

5 comentários:

Postar um comentário