sexta-feira, 10 de maio de 2013

Biblioteca Pública do Rio de Janeiro ganha usina solar


Projeto foi viabilizado pela Light, por meio do programa Rio Capital da Energia


Uma pequena usina geradora de energia solar foi implantada na Biblioteca Pública do Rio, que irá reduzir em 30% o consumo no local. É o primeiro espaço cultural na América Latina a ser abastecido com este tipo de energia.

A usina é composta por 162 placas que absorvem a energia solar, apoiadas em uma estrutura fixada na cobertura da biblioteca, além de seis dispositivos que convertem a energia solar em elétrica para ser usada no sistema interno.

Com a usina, pretende-se garantir eficiência energética à biblioteca, que desde 2008 passa por obras se tornar mais moderna e sustentável. O objetivo é tornar a biblioteca a primeira da América Latina a ganhar o Selo Ouro, a mais alta certificação dada pelo Sistema LEED (sigla em inglês que significa liderança em energia e design ambiental).

Em nota, a Secretaria de Cultura informou que o governo estadual pretende ampliar o programa de bibliotecas sustentáveis. O projeto foi viabilizado pela companhia de energia Ligth, por meio do Programa Rio Capital da Energia, com custo de R$ 585 mil.

Além da usina, outras medidas estão sendo adotadas para transformar a biblioteca em um local sustentável, como instalação de sistemas de reuso de água pluvial, telhado verde e torneiras com fechamento automático.


1 comentários:

Postar um comentário