quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Visita à “fábrica verde” da Coca-Cola em Maceió

Vista da Fábrica Coca-Cola - Maceió/AL

Estivemos na última sexta-feira, dia 30 de setembro, a convite da Coca-Cola Brasil, visitando a primeira fábrica "verde" do sistema Coca-Cola em Maceió/AL. Com uma moderna arquitetura e concebida dentro dos mais rígidos padrões de sustentabilidade ambiental, a fábrica Solar Br foi construída no conceito de "planta verde" e está previsto para 2014 que ela receba a certificação LEED global (Leadership in Energyand Environmental Design), um sistema internacional de certificação e orientação ambiental para edificações.

Visita - Fábrica Coca-Cola - Maceió/AL

Esta certificação, utilizada em 143 países, garante a implantação das boas práticas da construção sustentável. Todas as futuras fábricas do Sistema Coca-Cola também serão projetadas visando à certificação LEED.

A nova fábrica apresenta importantes diferenciais que caracterizam suas propriedades sustentáveis:

  • O terreno foi escolhido em função da proximidade com o comércio e serviço, de forma a incentivar os funcionários da fábrica a se deslocarem a pé, de bicicletas ou por meio de transporte público, contribuindo assim para a redução dos níveis de emissão de gases;
  • Pontos de transporte público de fácil acesso e próximos à fábrica;
  • Adoção de grande área verde no terreno, promovendo, entre outros benefícios, o gerenciamento mais eficiente das águas pluviais, a maior biodiversidade e a redução do efeito “ilha de calor”;
  • Cobertura do galpão de produção com cor clara e pé direito alto, diminuindo o efeito “ilha de calor”, em função da maior reflexão solar e também da utilização de telhas com isolantes térmicos, propiciando maior conforto aos funcionários;
  • Iluminação natural em todo galpão industrial;
  • Plano de controle de poluição da obra;
  • Uso eficiente de água e redução de uso de água potável em necessidades secundárias;
  • Paisagismo com o uso de plantas nativas ou adaptadas, diminuindo a necessidade de irrigação;
  • Instalação de equipamentos economizadores de água, como válvulas “Dual-flush” e reuso de água dos chuveiros para as bacias sanitárias e torneiras com temporizadores;
  • Instalação de sistema de captação e reuso de água do processo produtivo para a irrigação.
Quanto à produção, ela é totalmente automatizada e quase não há contato humano direto com o produto, além disso, verifica-se uma abundância de pontos de controle, com sensores que inspecionam eletronicamente tanto as garrafas vazias como as cheias. Dessa forma, qualquer imperfeição é motivo para sua separação: as garrafas de vidro que tiverem algum resquício de sujeira retornam ao início do sistema, para o setor de limpeza; já às que se encontram quebradas ou lascadas são levadas para reciclagem. O mesmo vale para as garrafas de PET que são descartadas se possuírem alguma imprecisão ou até mesmo vazamento de ar pelo lacre.  E esses são só alguns dos check lists que os sensores eletrônicos varrem em cada garrafa.

Visita - Fábrica Coca-Cola - Maceió/AL
Foto: Divulgação

Visita - Fábrica Coca-Cola - Maceió/AL
Foto: Divulgação

Outro fato que também impressiona é que se uma (01) tampinha de garrafa PET estiver virada, o processo de produção é parado e só é liberado quando o operador da máquina fizer o ajuste invertendo a tampinha.

Assim, tendo em vista toda a cautela empregada para se manter a excelência na produção através da utilização de sensores altamente eficazes, torna-se difícil acreditar na veracidade dos últimos relatos sobre objetos estranhos que foram encontrados nas garrafas da bebida. É claro que, estatisticamente, podem ocorrer erros industriais, mas analisando a quantidade e a qualidade da tecnologia empregada na produção da bebida, fica claro que a tendência de erros fica próxima à nulidade.

E para sanar qualquer dúvida que ainda permaneça, a Coca-Cola está abrindo suas fábricas para visita de seus consumidores. Para agendar sua visita basta se cadastrar ligando para o número 0800-021-2121.

Visita - Fábrica Coca-Cola - Maceió/AL

Durante nossa visita, também tivemos um bate-papo via skype com Marco Simões, Vice-Presidente de Comunicação e Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, que nos contou um pouco mais sobre a fábrica, a política da Coca Cola e respondeu perguntas dos demais blogueiros que estavam presentes.

Um dos conceitos apresentados por Marco Simões foi o “Eu, Nós e o Mundo”. A primeira dimensão, “Eu”, é representada pelos cuidados com a saúde e o bem estar pessoal, tais como os benefícios de uma vida mais saudável e o alerta quanto a doenças como obesidade. O “Nós” pelo bem estar social, focando o cuidado com os fornecedores e com toda cadeia produtiva (da compra dos ingredientes ao pós venda do produto). E a terceira dimensão, “Mundo”, é representada pela responsabilidade com a sustentabilidade ambiental como tratamento de resíduos, incentivos à reciclagem e a racionalização de energia.

Simões ainda nos falou sobre a forte preocupação da empresa em relação à redução do uso de água na produção, com investimentos em tecnologias para racionalizar ao máximo o seu uso, assegurando a eficiência no consumo de água, coleta de água pluvial e reutilização da mesma no processo de produção. A meta da empresa é a de utilizar apenas 1,5 litro de água para cada litro de bebida produzida.

Cabe ressaltar que esta medida de 1,5l por litro produzido é usado não somente na composição da bebida, mas também em todos os outros processos fabris, como lavagem da própria fábrica e dos equipamentos industriais. Em Jundiaí está localizada a fábrica com o melhor índice de eficiência mundial da empresa, no que diz respeito ao consumo de água, com a utilização de apenas 1,35 litros de água, em média, por litro de bebida produzida.

Visita - Fábrica Coca-Cola - Maceió/AL

Com relação às embalagens, Marco Simões destacou os investimentos da empresa na criação de um círculo virtuoso de coleta, reciclagem e reuso de latas e garrafas de PET, incluindo um trabalho muito próximo com as cooperativas de coletores e recicladores de resíduos. Além do desenvolvimento de trabalhos com prefeituras para que haja 100% de coleta seletiva e de programas de educação para a população, visando à separação correta do lixo (apenas 30% da população a faz corretamente).

No caso das latas de alumínio o índice de reaproveitamento é de 98,5%, o mais alto de todo o mundo. No caso das garrafas de PET, está em torno de 57%, também o maior índice de todo o mundo, mas a meta é também chegar aos 100% nos próximos anos.

O desafio que fica não se aplica apenas a Coca-Cola, mas sim a sociedade como um todo: aumentar o valor agregado da PET a fim de estimular sua coleta por parte dos coletores. E pensando nisso, a empresa está apoiando a criação de uma cadeia de valor para este produto através do estímulo ao uso da fibra de PET na indústria têxtil e no artesanato.


Um comentário:

  1. Excelente post, parabéns! Pra quem quiser saber mais sobre o assunto sugiro este artigo: http://www.construcaosustentavel.net/2013/12/a-historia-completa-da-sustentabilidade-na-construcao.html

    ResponderExcluir