quinta-feira, 1 de maio de 2014

Materiais Sustentáveis que Fazem a Diferença: Outros Materiais

A discussão sobre moda e sustentabilidade sempre “dá pano para manga”. No meu último texto falei sobre o algodão orgânico (Materiais Sustentáveis: Algodão Orgânico), mas ainda existe uma gama enorme de materiais a serem apresentados.

Um produto que é muito utilizado na indústria da moda é a lã, porém sua produção convencional tem um impacto negativo no meio ambiente. E devido à necessidade de um material menos impactante, surgiu a lã ecológica. Ao contrário dos métodos convencionais, neste não se utiliza o cloro para clareamento da lã das ovelhas, e todo tingimento é feito com plantas e não com corantes sintéticos, evitando assim a contaminação dos lençóis freáticos. Além disso, não são usados hormônios indutores do crescimento da lã e o número de ovelhas é limitado por área, para evitar situações de estresse ao animal.


A lã ecológica se destaca pelo aspecto rústico que vem de seu processo manual de cardagem [1], fiação e tecelagem, o que o torna fácil de diferenciar graças à aparência do produto, que remete a um conceito artesanal, natural e ecológico.

Fonte: Trico Sem Costura

O seu processo de produção é organizado dentro da lógica da agricultura familiar, funcionando como complemento da renda da família, ajudando na melhoria da qualidade de vida e mantendo assentados os integrantes das famílias no campo.


Outra fibra natural muito utilizada é a seda, que é um dos materiais mais antigos usados pela indústria da moda. A seda usada na indústria têxtil é obtida a partir dos casulos do bicho-da-seda através do processo de sericicultura. A fibra de seda natural é um filamento da proteína produzida pelas lagartas de certos tipos de mariposas, e é uma das matérias-primas mais caras no mercado da moda. A seda orgânica também é a associação da seda a outras fibras naturais compondo novos produtos, como a juta, o sisal e o rami.



O cultivo dos casulos que originam a seda ecológica é feito de forma artesanal em plantações onde não há o uso de agrotóxicos. Os resíduos do processo são reaproveitados em plantações e os casulos rejeitados são usados para a fiação em larguras variadas. A fiação deve ser feita manualmente, gerando assim, renda para as comunidades produtoras.  O tingimento é 100% natural e são utilizados pigmentos vegetais retirados da natureza, como da amora, cana-de-açúcar, casca de cebola, café, urucum e folha de eucalipto e, por ser mais um processo manual, torna o tecido uma peça única e exclusiva.


Outra alternativa muito explorada hoje em dia é o tecido de fibra de PET, que é um produto ecológico feito das garrafas PET que já conhecemos. Ao ser produzido, ele retira do meio ambiente as garrafas, que são de material de difícil decomposição, graças ao petróleo usado na sua composição, responsáveis por 30% dos resíduos sólidos produzidos no país. O PET dá origem ao poliéster, o polímero plástico derivado do petróleo, cuja fibra é usada na produção dos mais variados produtos, desde roupas até o tecido do banco do carro.

Fonte: Nossa parceira Mr. Fly Moda Sustentável

Nos últimos anos, com as inovações tecnológicas, foi possível combinar as fibras de poliéster feitas a partir do PET com as fibras de algodão, criando uma malha com a mesma resistência, solidez, durabilidade e até nas cores dos produtos fabricados na forma convencional. A coleta dessas garrafas, hoje envolve mais de 250 mil pessoas, se transformando em fonte de renda para comunidades inteiras. Depois de coletadas e separadas, as garrafas são vendidas para as empresas e lá são lavadas, moídas e descontaminadas para que possam ser fundidas ou derretidas. Esse processo resulta em pequenos flocos que serão transformados em fios de poliéster por equipamentos que fazem filamentos e depois trançados ao algodão. O resultado final dessa malha são produtos de qualidade, comparáveis com os produtos de matéria-prima não recicladas, mas com uma grande diferença: o valor ecológico e social.

              
  Você pode adquirir essas camisetas de malha PET através de nossa Ecoloja

O uso de materiais sustentáveis e/ou orgânicos na fabricação de roupas já existe, e é essencial que o consumidor consciente esteja atento a novos materiais, novos processos e o que mais possibilitar uma compra sustentável. O brasileiro está se adaptando a essa novidade, mas antes costumava achar que roupas recicladas, feitas de PET ou de materiais alternativos eram de qualidade inferior. Tanto que as próprias empresas, às vezes, omitiam essa informação para não desvalorizar o produto. Hoje, isso mudou e grande parte das empresas se orgulha de projetos como esses, fazendo o mercado de tecidos sustentáveis crescer a cada dia.



[1] A cardagem ou cardação é o processo de tratamento da fibra que será utilizada na fabricação de fios.


Clique aqui para ler mais sobre artigos de Aline Lima Carlos

3 comentários: