terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Pequeno poema sobre a crise hídrica: ÁGUA BENTA

Eu, à esquerda, mandando um 'vlws, flws' abençoado por Deus no rio Formoso,
Parque Nacional das Emas. Foto:
 Gabriela Magalhães

E Deus disse: faça-se a luz
e disse também, faça-se a Amazônia

Deus deu a luz
e a maior floresta do mundo.

E nela Deus deu o rio Amazonas,
o rio Negro,
o Tapajós, o Xingu
e mais um punhado dos maiores rios do mundo.
Deus também dá o Cerrado, a savana mais rica do mundo.
E com o cerrado, Deus dá o Velho Chico!
o Tocantins, o Paraná, o Araguaia
e outro punhado dos maiores rios do mundo.

Deus deu pro Brasil 13% de toda a água deste pequeno planeta.

Junto com os rios, Deus dá as matas que os protegem.
Dá também as matas que protegem as encostas, os topos de morro e as nascentes.
Deus dá todas as outras APPs.

Mas é pouco.

Deus resolve dar um Oceano inteiro,
e um Sol, capaz de dar asas à água do mar,
que agora voa pro continente.

Pra garantir, dá também a mais extensa Cordilheira do mundo.
E os Andes barram a água.
Mandam tudo pro sudeste.
E Deus dá mais montanha
dá o Espinhaço,
e dá a Mantiqueira.
Faz a água jorrar como numa torneira.

Alguns bilhões de anos depois, chega o homem.
E em menos de 200 anos, o homem
faz da soja sua mata ciliar
faz do pasto os seus morros
e as outras APPs.
Minera suas nascentes.

O homem pega o minério...
... e manda embora com a água que sobrou.

Tampa os rios com avenidas,
joga agrotóxico de avião
Constrói cidades nas várzeas...
... usa as outras de lixão.

O homem ainda sabe reciclar.
Aduba o solo com os restos
dos índios, ribeirinhos e pobres,
faz crescer trator, soja transgênica e muita tração nas quatro.

E o homem ainda gosta de mata.
Mata o rio São Francisco.
Mata também o Paraná.
Barra o Xingu,
o Teles Pires, o Madeira, o Tocantins.
o Tapajós, meu Deus do céu...
O PAC 2 quer mais 54.
(Cinquenta
e
quatro.)

O governador acha as eleições mais importantes,
o Congresso não faz a menor ideia.
O Aécio tá em coma.

Dona Dilma, estudiosa que é,
com seus futuros ministros, Kátia e Aldo,
resolve que não precisa mais de tanta APP,
nem de terra indígena,
nem de reserva legal,
nem de unidade de conservação,

nem de cumprir promessa de campanha.
Não foi ela que escreveu.

Mas o céu não manda mais chuva.
As barragens já secaram,
a água virou leite,
jajá vai virar vinho.
O Lula tá curtindo.
Seria Jesus?

o povo tá nas ruas,
as donas de casa estão pondo fogo em prefeitura,
e a polícia do Alckmin mal consegue acalmá-las com seus canhões de água.

A Ministra do Meio Ambiente está preocupada,
e logo interrompe seus afazeres,
distraída, esqueceu a mina Apolo do lado de fora do Parque Nacional do Gandarela,
enquanto implorava que as pessoas fechassem as torneiras ao escovar os dentes.

mas Eduardo Braga não,
esse não chegou ali atoa.
Do escurinho do cinema,
o Ministro de Minas e Energia sabe bem de quem é a culpa:

Deus há de mandar a chuva pra cá,
afinal de contas, Deus é brasileiro,
Ele não faria essa maldade com o povo.



Clique aqui para ler outros artigos de André Aroeira

0 comentários:

Postar um comentário