quinta-feira, 19 de março de 2015

Começando uma Revolução Fashion

Você já se perguntou quem faz as suas roupas? Uma pergunta muito simples que muitos de nós nunca fizemos. A partir desse questionamento surgiu a ideia do Fashion Revolution, uma aliança entre designers, acadêmicos, jornalistas, donos(as) de negócios e até parlamentares que acreditam numa revolução na cadeia da moda.


Questionar quem está por trás da confecção das peças de vestuário que as pessoas compram se tornou uma urgência quando, em 24 de abril de 2013, mais de 1.000 pessoas morreram e 2.500 ficaram feridas com o desabamento do Rana Plaza, um prédio de oito andares que abrigava confecções nas proximidades da capital de Bangladesh, Dacca. O prédio que, segundo o Ministro do Interior, Muhiudin Khan, foi construído sem respeitar a legislação, abrigava a confecção New Wave Style, que trabalha para a empresa espanhola Mango e a italiana Benetton, de acordo com informações de seu site. Outras marcas como Tex (subsidiária do Carrefour), o gigante americano da distribuição Walmart, e Primark também estavam ligadas às confecções que funcionavam no prédio.

Autossustentável: Desabamento Rana Plaza
Operação de resgate nos escombros do prédio Rana Plaza horas após o desabamento.
FonteNoticias Terra

Os avisos e advertências sobre a falta de segurança do prédio devido ao aparecimento de rachaduras foram ignorados, pois os responsáveis pelas confecções tinham como prioridade suprir a demanda que a indústria da moda exige. Contudo esse não foi uma tragédia isolada, a indústria têxtil de Bangladesh (segunda maior do mundo) é muito criticada por não respeitar as normas de segurança da construção civil; são constantes os desabamentos de prédios em Bangladesh.


Apesar de ser impulsionado por esse acontecimento, o movimento Fashion Revolution baseia-se com esperança na renovação e na mudança, acreditando em uma indústria da moda que valoriza todas as suas vertentes, desde o meio ambiente até as pessoas envolvidas no processo. Pessoas essas que, às vezes, esquecemos de considerar.

Autossustentável: Fashion Revolution Brasil
Fonte: Fashion Revolution Brasil

Somos bombardeados por um turbilhão de informações diariamente, por isso precisamos lembrar de analisar com mais cuidado aquelas que, de alguma forma, nos envolvem. Informações que abrangem as marcas e produtos que consumimos e que, em algumas situações extremas, levam à condição degradante das pessoas que trabalham para que esses produtos cheguem até nós. Fazendo isso seremos capazes de contribuir para a mudança.

Para atingir esse objetivo, o Fashion Revolution Day propõe que nós, consumidores, coloquemos nossas roupas do avesso, com as etiquetas à mostra e perguntemos às marcas e fabricantes: Quem fez a nossa roupa? Quais pessoas estão envolvidas no processo e em que condições essas pessoas estão trabalhando? Essas roupas são seguras ou estão cheias de produtos tóxicos que fazem mal à nossa saúde e ao meio ambiente? O Fashion Revolution Day acontecerá em 24 de abril, e levantará novamente a bandeira da transparência, solicitando às marcas transparência em seus processos de fabricação, segurança para os funcionários e responsabilidade com o planeta.


Em entrevista com Fernanda Simon, uma das coordenadoras da equipe do Fashion Revolution do Brasil, ela falou sobre como a participação do público é importante.

O Fashion Revolution tem como principal objetivo a conscientização sobre o atual cenário da indústria da moda e propor alternativas de produção e consumo. A participação do público não só fortalece o movimento mas também fortalece a demanda de um mercado mais ético e transparente. diz Fernanda Simon.

Fernanda ainda apontou como foram significativas as mudanças que aconteceram desde a primeira edição do movimento, no ano passado:


Assuntos como sustentabilidade e ética dentro do mercado de moda estão cada vez mais presentes, podemos perceber essas abordagens com mais frequência em revistas e jornais tradicionais. Marcas estão começando a procurar um engajamento mais ético e ecológico e o público a perceber estes assuntos não como uma tendência, mas como uma necessidade”.

Autossustentável: Fashion Revolution Day
Fonte: Fashion Revolution Brasil

O Fashion Revolution Day de 2014 movimentou 60 países ao redor do mundo com milhares de pessoas participando. E esse ano eles esperam mais. No Brasil, além da campanha online impulsionada por representantes dessa aliança, ainda esta sendo organizado todo tipo de atividades ligadas à área de moda e sustentabilidade. Palestras, workshops, e etc poderão ser apreciadas por todos os públicos em nove cidades de diferentes estados. Em breve os detalhes serão disponibilizados nas redes sociais. Fique de olho no site Fashion Revolution e na fanpage do Fashion Revolution Brasil no Facebook para o calendário oficial e faça a sua parte!

Referências:


Clique aqui para ler mais sobre artigos de Aline Lima Carlos

0 comentários:

Postar um comentário