sábado, 7 de março de 2015

Crise Hídrica: Trazendo o Tema à Tona na Escola

Autossustentável: Crianças e Água
Fonte: Patosonline.com



Há muitos anos, lembro bem de duas profecias feitas por um querido professor de Geografia no antigo segundo colegial.

A primeira dizia respeito às mudanças climáticas. A previsão (dele) era que entraríamos logo, logo em uma nova era glacial. Não lembro na verdade quanto era “logo”, mas em se tratando de uma aula de Geografia, acho que eram alguns milhares de anos.

A segunda dizia respeito à disponibilidade de água doce. A previsão (dele) era que as principais guerras, conflitos, crises e revoltas estariam, de alguma forma, relacionados à água. Pois é, adoraria reencontrá-lo e ouvir, por baixo do bigode, ele dizer: “Não te falei?”.

É certo que não vou viver o suficiente para ver a primeira previsão se realizar e, confesso, que também imaginei que não viveria para ver a segunda se concretizar.

A crise hídrica no Brasil trará mudanças profundas no comportamento de muitas pessoas e à forma como vemos nossos “infinitos” recursos naturais. Lembro que aprendi (também na escola) que nosso país era campeão imbatível em disponibilidade hídrica e, apesar disso, cá estamos com as torneiras cada vez mais secas a cada dia. A realidade atual é muito mais complexa que simplesmente termos água doce à disposição. Ter água à disposição não significa, obrigatoriamente, que ela estará sempre disponível.

Autossustentável: Pegada Hídrica

O tema da crise hídrica estará invariavelmente presente na escola em 2015 e, quem sabe, 2016, 2017... A forma e seriedade com que esse assunto deve ser trabalhado tem relação direta com seu nível de complexidade.

Campanhas de informação e prescrição cumprem um papel limitado na mudança de comportamentos, apesar de serem importantes por atingirem um grande número de pessoas. O trabalho integrado (interdisciplinar) e continuado nas educações formal, não-formal e informal devem trazer à superfície toda a dinâmica entre os atores da crise, seus papeis, suas ações e omissões, seus direitos e seus deveres, formando um quadro amplo e esclarecedor das dinâmicas ambientais, sociais, culturais, políticas e territoriais. Não é uma tarefa simples, considerando a fragmentação no ensino que insistimos em manter ano após ano.

Em roda de conversa, alunos da Escola Estadual Mário Casassanta discutem a importância da economia de água. Fonte: Secretaria de Educação de Minas Gerais

Como biólogo e professor há quase 20 anos, acredito que o tema da água e muitos outros ligados à nossa relação com o mundo natural merecem destaque, pois são a base de tudo o que somos, fazemos e dependemos para continuar existindo. Infelizmente, tenho a percepção de que a temática ambiental tem gradativamente perdido espaço nas escolas e tem sido tratada, cada vez mais, de forma superficial e prescritiva, o que aborrece os alunos e enquadra os engajados como “verdinhos” ou “ecochatos”.

Nesse ano, entretanto, acredito que será diferente. A crise aguça os sentidos e trabalhos que deveriam ser feitos todos os dias serão feitos em caráter emergencial. Melhor isso que nada? Não sei...

Crianças da Escola Comunitária de Educação Infantil Ideal colorem cisterna durante a Semana do Meio Ambiente de Novo Hamburgo. Fonte: COMUSA

Vale ressaltar que isso não é regra. Existem trabalhos excelentes sendo desenvolvidos de forma continuada e competente em muitas escolas, ONGs e espaços educadores por aí. Toda generalização é burra. Mesmo assim, ainda é pouco.

Nesse momento, gostaria de compartilhar com o leitor do Autossustentável uma pequena contribuição ao tema na forma de um plano de aula para os Ensinos Fundamental II e Médio que desenvolvi junto com o querido Prof. Pedro Roberto Jacobi (IEE/PROCAM/USP).

O plano de aula é gratuito e pode ser compartilhado, usado e modificado de forma livre e irrestrita. Espero que seja útil de alguma forma, em especial no sentido de ampliar nossa compreensão, responsabilidade sobre a crise e o papel das instituições públicas que devem zelar pela nossa qualidade de vida.

Clique em Sugestão de Atividades para os Ensinos Fundamental II e Médio para acessar o plano de aula e fazer download.


Clique aqui para ler outros artigos de Edson Grandisoli

0 comentários:

Postar um comentário