quarta-feira, 15 de abril de 2015

A Grande Teia


Abordar o tema “desenvolvimento sustentável” pode se tornar infrutífero se não houver uma visão do todo e da fina harmonia entre os elementos que o constitui. É preciso ter em vista que a interferência em um desses elementos afeta todos os outros, assim como uma enorme teia de aranha.

Sustentabilidade é essa sensível teia compostas pelas esferas sociais, econômicas, ambientais e individuais. A capacidade de se sustentar uma vida, uma relação ou de gerir uma empresa de forma saudável são concebidas de forma bem parecidas.

Essas esferas só estarão em harmonia se houver respeito, intimidade e troca de informações entre os indivíduos que as compõem. Sendo assim, todos nós temos uma responsabilidade a assumir, e somos incapazes de abrir mão dessa responsabilidade enquanto membros dessa grande Teia que chamamos de planeta Terra.

Animação de Steve Cutts que ilustra de maneira crítica a forma como o meio ambiente tem sido transformado pelo ser humano.

A nós, cidadãos comuns, cabe o comprometimento para a construção e administração de um ambiente social que promova o bem estar, a segurança, a justiça e a saúde de cada um de seus semelhantes. Esse objetivo pode ser atingido assumindo várias responsabilidades, no caso voltado à sustentabilidade: desde a separação do lixo até a promoção de ideias e debates a respeito do tema.

Aos empreendedores é preciso, para a manutenção dessa esfera, em primeiro lugar, comunhão e bom senso entre seus indivíduos. Sabendo-se do elevado grau de competitividade existente nesse meio, uma relação intraorganizacional onde os conceitos de desenvolvimento sustentável estejam sempre à mesa é fundamental. E essa será a campanha mais difícil de suas existências, que não tem relação com a maximização de lucros ou minimização de custos. Mas sim, com conciliar suas ações com os princípios sustentáveis, como por exemplo: “satisfazer as necessidades do presente sem comprometer a habilidade de gerações futuras de satisfazerem suas próprias necessidades.”


A esfera ambiental precisa continuar promovendo a vida, e isso nos basta. Mas essa promoção se mostra cada vez mais dependente do sucesso das esferas citadas anteriormente.

E por fim, o indivíduo. Esse parágrafo diz respeito ao íntimo de cada ser e como estes estão comprometidos também consigo mesmos. Desde a maneira de pensar e agir à forma como veem o mundo ao seu redor. Será que para você, hoje, o comprometimento com práticas socioambientais é uma virtude ou ainda é um fardo? O quão lapidado anda seu ponto de vista em relação ao assunto?

Fonte: WWF

Essa enorme teia que nos une é tão sensível que sequer podemos tentar fugir sem provocar mudanças em vários outros pontos. Então, para que fugir, já que é impossível se desgrudar? Trabalhemos para a manutenção desta teia e de suas esferas e então a faremos vibrar de forma que desperte a vontade de todos os outros seres envolvidos na mesma!

Clique aqui para ler mais sobre artigos de Patrick Rabelo


0 comentários:

Postar um comentário