quinta-feira, 24 de setembro de 2015

"Me Perdoe"


Sustentabilidade é o processo que nos permite permanecer. O ideal sustentável tem uma parcela muito importante direcionada a esfera social. Quando o assunto é a nossa capacidade de permanência, nenhuma urgência deveria ser particular, como foi o caso dessa criança.

Além da atenção que alguns fatos nos tomam, outras coisas são deixadas para trás diante de notícias tão chocantes envolvendo vidas de seres humanos, "coisas" que costumamos chamar de humanidade e compaixão. Às vezes respeitar o meio ambiente parece ser uma tarefa impossível quando o respeito por nós mesmos parece adormecido, entorpecido, anestesiado. 


Nossa capacidade de permanência evidencia por meio de alguns fatos a sua necessidade de ser recalibrada ou, muitas vezes, simplesmente aprendida. E quando aprendida, empreendida sem medo. A vida desta criança foi assaltada por um processo político e burocrático, e isso mostra como a Sustentabilidade (esfera social, neste caso) é subjulgada perante outras causas e ideais.

Do ponto de vista do ser humano, ele próprio é a parte mais importante da natureza, moldando-a a sua necessidade. Aprimorando-a. E interagindo com ela o tempo todo, vinte e quatro horas por dia. A forma que nos relacionamos uns com os outros está intrinsecamente ligada a forma como relacionamo-nos com nós mesmo e com o ambiente a nossa volta.


Infelizmente, na praia de Bodrum, na Turquia, no dia 02/09/2015 presenciamos mais uma vez a marginalização dos ideias sustentáveis perante a esfera política. Sentimos o mais amargo gosto que a empatia pode nos fornecer. Vimos um pouco mais do show de horrores por trás de uma segregação social gritante.

Se por um lado o mundo grita tão alto que nos machuca a alma, devemos nos animar e lutar pelo que muitos não tiveram a chance, pelo que realmente valer a pena. Plantar a maior quantidade de virtudes possíveis e exercer o cultivo da sabedoria necessária para convertê-las em ações positivas no ambiente a nossa volta. Uma jornada lenta, difícil e que exige muita paciência e auto-controle. E que muitas vezes, infelizmente, põe a prova nossa capacidade de amor ao próximo.

Por maior que seja a gravidade do caso do menino na praia de Bodrum, e por maior que seja a atenção que ele requer e merece de nós, não vamos deixar a mídia roubar nossa auto-estima com notícias ruins o tempo todo. É hora de acalmar o jogo e entender o que está acontecendo ao nosso redor. 


Em relação a isso, gostaria que você me concedesse um pouco mais da sua atenção e a voltasse para o vídeo a seguir onde um ato registrado por meio de um vídeo amador tenta nos mostrar que nem tudo está perdido, que coisas boas também acontecem ao nosso redor, e às vezes mais perto do que esperamos.

No vídeo, uma senhora indignada com insultos proferidos por outra pessoa contra imigrantes senegaleses no Brasil pede desculpas com as seguintes palavras:
"Não, o povo brasileiro não é assim. Ela não representa o Brasil, ela não está representando o povo brasileiro. Você perdoe, me perdoe... sair do país de vocês, vir pra cá e passar por este constrangimento. Me perdoe."
Clique aqui para ver o vídeo.

Um belo exemplo da valorização da ramificação social da sustentabilidade, e o melhor, vindo de uma compatriota. Que orgulho!


Saudações Verdes!

Clique aqui para ler mais sobre artigos de Patrick Rabelo

0 comentários:

Postar um comentário