segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Por que não podemos mais viver sem o Ecodesign?

Constantemente nos deparamos com o termo Ecodesign. Ele está presente em diversas áreas, desde vestuário, moveleira, alimentícia até construção civil e arquitetura.  Mas afinal, o que esse conceito, surgido no setor eletrônico dos EUA, tem a ver com nossas vidas?


Imagem: Nova Child

Vivemos em um mundo de urgências socioambientais, onde a poluição, o desmatamento, a degradação do solo, e muitos outros problemas, gerados pelo nosso modo de produção industrial, impactam cada vez mais nosso meio, gerando consequências cada vez mais desastrosas.

Foi pensando nisso que, na década de 1990, surgiu o Ecodesign, com o objetivo de alinhar questões econômicas (através da redução dos custos de produção) e ambientais (através da minimização dos impactos ambientais).

Autossustentável: Ciclo Ecodesign
Imagem: Adreson Vilson

Em outras palavras, o Ecodesign considera todo o ciclo de vida dos produtos, desde as etapas de extração, produção e venda, até a gestão dos resíduos gerados. Com essa mudança de concepção, notamos que além dos aspectos econômico e de qualidade, por exemplo, a eficiência ambiental passa a ser primordial ao produto[1]. Para tal, devem ser seguidos alguns princípios[2]:

  • Utilizar Materiais de Baixo Impacto Ambiental: escolher materiais menos poluentes, não-tóxicos, de produção sustentável ou reciclados, ou que requerem menos energia na fabricação.
  • Aplicar a Eficiência Energética: utilizar processos de fabricação que consomem menos energia.
  • Ter Qualidade e Durabilidade: produzir artigos de qualidade, que duram mais tempo, para reduzir o volume de lixo.
  • Dispor de Modularidade: criar objetos cujas peças possam ser trocadas em caso de defeito, para diminuir o descarte e a obsolescência.
  • Realizar Reutilização/Reaproveitamento: criar produtos a partir da reutilização ou reaproveitamento de outros objetos e criar ciclos fechados/sustentáveis de consumo.

Infelizmente, algumas empresas tendem a “enverdejar” seus produtos, rotulando-os com algum tipo de selo verde. Estas costumam enfatizar um elemento ecológico utilizado no processo produtivo, mas se considerarmos o todo o processo, veremos que os princípios do Ecodesign não foram aplicados[3].

Autossustentável: Consumo Consciente
Imagem: Saama Cerquilho

Por isso, é importante que estejamos bem informados e alertas para nos tornarmos consumidores conscientes.

No post de amanhã vamos falar sobre uma iniciativa bacana que envolve Ecodesign e Empoderamento de mulheres em situação de baixa renda. Não percam! 





[1] Saiba mais em: Genos
[2] Leia mais em: Wikihaus Inc
[3] Saiba mais em: Coletivo Verde



Clique aqui para ler mais artigos de Nathália Abreu




0 comentários:

Postar um comentário