terça-feira, 7 de março de 2017

Água potável para todos? Inovações podem ser a solução!

A água é essencial para a vida. No post de ontem, vimos a importância de estar bem hidratos. Mas será que todos realmente temos acesso à água (potável, própria para o consumo)? Vamos observar alguns fatos. 
Imagem: Mídia 21

O planeta é composto de 75% de água. Sendo que apenas 2,5% (aproximadamente 35 milhões de km³) representa água doce. Desse volume de água doce, cerca de 70% está na forma de gelo, aproximadamente 30% sob o solo; e apenas 0,3% disponível em lagos e rios.
Junto a isso anda há a questão da desigual distribuição de água no planeta, e o fato de que também há problemas no acesso à água potável devido à poluição e falta de saneamento básico. Na imagem abaixo podemos observar melhor esses fatos. 
Fonte: Almanaque Abril

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), 1,7 milhão de crianças com menos de 5 anos morrem porque vivem em locais insalubres, sem acesso à saneamento e água potável. As causas mais comuns de mortes entre essas crianças são diarreia, malária e pneumonia, presentes principalmente em regiões menos desenvolvidas. 
Imagem: Cultura Mix

Mas, felizmente, inovações vem permitindo a transformação dessa realidade tão triste. Através de equipamentos, muitas vezes considerados simples, já é possível tornar a água potável.
Confira, a seguir, algumas dessas inovações:

Canudo que é um filtro portátil
Criado na Suíça, canudo LifeStraw filtra a água enquanto ela é consumida. O canudo é um tubo de plástico azul que possui potente sistema de filtragem que transforma a água contaminada com microorganismos que provocam cólera, febre tifóide e diarréia em água potável. Outras vantagens desse canudo é que ele funciona sem energia e pode filtrar até 700 litros de água, quantidade média consumida por pessoa anualmente.
Imagem: ABC Adventure


Filtro movido a energia solar
O “ecolágua” é um filtro que purifica a água, tornando-a potável, através de energia solar. Criado pelo pesquisador do Inpa, Rolland Vetter, o equipamento que pesa 13 Kg é capaz de filtrar até 400 litros de água por hora. Por ser compacto e por não necessitar de energia para seu funcionamento, o equipamento é indicado principalmente para lugares que não possuem acesso à eletricidade. A utilização do filtro pode representar uma solução, ainda que a curto prazo, para os locais com pouco ou nenhum saneamento básico.
Imagem: G1 Notícias

Imagem: G1 Notícias

Sistema portátil que limpa água e produz energia
O H2prO é um sistema portátil (e barato!) capaz de purificar águas residuais e gerar eletricidade simultaneamente, tudo isso a partir dos raios solares e dióxido de titânio. Criado pela australiana Cynthia Sin Nga Lam, de 17 anos, o sistema é composto de duas partes: a superior que gera energia e a inferior que purifica a água. A eficiência de remoção de poluentes orgânicos da água é de 90% e o processo pode levar até duas horas de duração.  
Imagem: Greater Click

E você? Conhece alguma inovação que pode ajudar a transformar o mundo? Conta para gente aqui nos comentários.


Clique aqui para ler mais artigos de Nathália Abreu


0 comentários:

Postar um comentário